Segundo pesquisa do PornHub, “transgender” (transexual) é a categoria pornô mais buscada na internet no Brasil em comparação ao resto do mundo.

Ela teve um aumento de 84%, um número bem expressivo. Isso nos mostra que o brasileiro tem, cada vez mais está interessado em buscar por acompanhantes trans.

Porém, qual será o motivo por detrás desse aumento de buscas? Será que tem uma explicação para a procura de transexuais? Para respondermos a essas perguntas, vamos primeiro entender qual é a diferença entre travesti e transexual e por que muitos vão parar no mercado da prostituição.

Prostituir-se é uma escolha ou falta de oportunidade?

É preciso separar o que é uma pessoa travesti e uma transexual, pois esses termos não significam a mesma coisa. Uma pessoa transexual ou transgênera é aquela que não se sentem correspondido ao seu corpo físico. Por um exemplo, uma pessoa que nasceu com corpo de homem, mas que na sua mente ela se sente mulher. Sendo assim, essas pessoas fazem implantes, tomam hormônios e até chegam a fazer a cirurgia de mudança de sexo.

Já a travesti é uma pessoa que nasceu com o corpo físico de um homem, mas que usa roupas e hormônios femininos. Ela não sente desconforto com sua genitália e, por isso, não sente a necessidade de fazer a cirurgia de redesignação sexual.

É claro que essa é uma explicação muito simplificada. Mas já ajuda para deixarmos claro a diferença entre os termos.

Agora, será que as travestis que se prostituem fazem isso porque gostam desse trabalho ou é por que faltaram oportunidades em sua vida? Numa sociedade, como o Brasil, em que ainda há muito preconceito em relação ao universo LGBTQI+ (Lésbica, Gays, Bissexuais, Transexuais, transgêneros, Queers e Intersexuais) é comum que as travestis sejam ridicularizadas por suas escolhas.

Isso faz com que a maioria saia da escola e também que não consiga um emprego. Sendo assim, a única opção que elas veem é se prostituir. Dessa forma, elas vão para as ruas, utilizam sites adultos ou mesmo, vão tentar a vida fora do país.

A Itália e a Espanha têm sido dois países que recebem muitos trans brasileiros. Lá eles trabalham como acompanhantes de luxo e conseguem ir levando a vida nesse mercado de trabalho.

Por que homens têm procurado mais por travestis?

Poucas pesquisas têm sido feitas para entender porque essa busca por acompanhantes travestis tem aumentado no Brasil. Uma pesquisa feita pelo antropólogo americano Don Kulick no Brasil constatou que, durante um mês, 52% dos clientes queriam sodomizar o trans, 19% pediram sexo oral, 18% queriam um “troca-troca”, 9% preferiam ser sodomizados e 2% pediram para ser masturbados.

Para obter esses dados, foram analisados os programas feitos por cinco travestis em Salvador na década de 90. Kulick chegou à conclusão de que os homens que procuram por um serviço com uma travesti não é, em geral, gay, como o pensamento comum acha.

Há muito o que analisar ainda para se chegar a uma conclusão do porquê do aumento da busca por pornô e travestis acompanhantes.

A psicanalista Maria Rita Kehl vê duas razões para esse aumento. A primeira é que, por ser uma mulher com pênis, desperta certas fantasias infantis. A segunda é que as travestis demonstram a feminilidade de uma forma muito absoluta. Às vezes, elas chegam a ser mais femininas que muitas mulheres.

Além disso, tem toda a fantasia em fazer sexo com uma mulher com pênis. Esse ato que, de certa forma, parece proibido, instiga ainda mais os homens a cometê-lo. Como se assim, houvesse mais adrenalina em seus corpos.

Quais são os meios de trabalho dos travestis?

Hoje em dia, as travestis não estão trabalhando apenas nas ruas como era antigamente. A internet é muito utilizada como ferramenta de trabalho. Esse pode ser um dos motivos para o aumento dessa busca por acompanhantes trans, uma vez que não é mais preciso sair às ruas em busca de uma companhia.

Há muitos sites que servem para divulgar os serviços de cada travesti, onde o cliente entra em contato e marca um encontro. Além disso, algumas têm trabalhado em sites que fazem transmissões ao vivo, onde a travesti faz striptease e até se masturba para o cliente que está do outro lado da tela.

Sendo assim, é muito provável que essa busca por trans acompanhantes não pare de crescer, mesmo em um país que ainda tem muito preconceito contra o grupo LGBTQI+. Com o auxílio da internet, as travestis conseguem uma segurança maior para prosseguirem com seu trabalho e, assim, ter como se sustentarem.