Adorava passar as tardes com minha amiga, Lu. Abríamos um vinho, fumávamos cigarros e ouvíamos música. Nesta tarde o vinho era tinto e bem seco. exatamente como eu gosto e a trilha sonora foi composta por várias músicas como essa: Morcheeba – Undress me Now

Ela tinha os cabelos curtos e dourados, já os olhos variavam entre o caramelo e o verde, dependendo da luminosidade. Os peitos dela eram pequenos e durinhos, os seus mamilos sempre denunciavam o seu grau de excitação. Estilo ninfetinha, sabe?

Ela me chamava de Dita Von Teese, o que me excitava, obviamente.

Sempre deixei bem claro que era bissexual, preferia homens, mas gostava de mulheres também. Como não gostar de peitos e bundas, afinal?

Já ela dizia que era hétero e que não se sentia atraída sexualmente por mulheres…

Nós trocamos olhares sacanas enquanto bebíamos e fumávamos e riamos compulsivamente.

Naquela tarde, que a essa altura da história, já tinha virado noite, nossos olhares sacanas passaram para os toque sutis nas pernas, nos braços, mão com mão, lábios sendo mordidos…

Honestamente, eu não sei como passamos de uma conversa bêbada para ela me pondo contra a parede, levantando os meus braços, me imobilizando e me beijando com uma fúria de me deixar toda molhada e louca por ela.

Tentava apressá-la pra irmos pra cama, mas foi ai que fiquei sabendo do que ela realmente gostava.

Ela estava adorando segurar meus braços, não me deixava ter controle nenhum. Estava na mãos dela.


Ela enfio uma das mãos dentro do meu jeans,  puxando a minha calcinha para o lado com força e enfiando os dedos em mim, ela lambia e chupava e mordia meus peitos. Estava toda molhada, implorando pra ela me levar pra cama e me comer. Com força, me conduziu pro quarto.

Tirou uma caixa do armário.

Tirou a minha roupa, mas não me deixou tirar a dela. Ela estava completamente no controle.

Em poucos minutos eu  já estava nua e com uma coleira no pescoço, algemada,  com separadores de pernas, e vendada.

Estava me sentindo extremamente sexy, conseguia sentir o quão molhada ela estava e o quanto ela queria me comer.

Pra mim, tudo aquilo era novo demais, mas estava gostando de não ser responsável por absolutamente nada naquela cama.

Ela começou a fazer sexo oral em mim, me deixando louca, me masturbando com os dedos do jeito que só as mulheres sabem fazer.

Gozei já ali, na mão dela. Ela tirou a venda dos meus olhos para que a visse chupando os dedos com me gosto.

Depois ela começou a deslizar um pedra de gelo sob TODO o meu corpo, sem ver nada, fiquei na dúvida do que era. Fui pega de surpresa com a penetração deliciosa de um vibrador…

 

Toda vez que eu tentava dizer alguma coisa ela me mandava calar a boca e eu como boa escrava, obedecia.

(Continua…)

 

Curta nossa Pg no Facebook! 

Por: @rebecagalabarof