Rachel Starr, garota do Texas de 33 anos, começou como dançarina exótica em Freeport, Los Angeles, tornou-se uma das maiores atrizes pornográficas desde que foi descoberta em um clube de striptease e fez sua primeira cena 10 anos atrás, em 2007.

Rachel revelou fatos surpreendentes sobre a industria pornográfica em entrevista cedida ao site POPSUGAR. Starr disse que atrizes e atores pornôs, diferente dos profissionais hollywoodianos, desempenham um papel constante em suas carreiras, sendo personagens à todo momento, vendendo suas marcas. Mas que apesar de estarem sempre atuando, ela afirma ser uma pessoa real em cena e em casa, diferente de Angelina Jolie que em casa não é, por exemplo, Lara Croft ou Senhora Smith.

Rachel Starr é alguém muito além de uma profissional que utiliza o sexo como profissão, ela tem uma família, namora, protege animais e ainda auxilia mulheres moralmente e emocionalmente por meio de grupos privados no Facebook.

Ela conta que atores e atrizes sempre buscam fazer algo para a sociedade, mesmo que sejam marginalizados aos olhos de seus próprios fãs. Ela conta que um grande amigo ator pornográfico se aposentou de uma carreira de 12 anos para se dedicar aos estudos em tempo integral, conseguiu seus mestrados e hoje trabalha para a NASA.

A atriz pornô aborda o fato de que a pornografia pode tanto ser celebrada quanto taxada por muitos preconceitos e entende que isso é normal, que há liberdade para os dois lados do pensamento. E que se a pornografia fosse 100% boa todos estariam na industria pornô.

Rachel entende que o pornô trouxe bastante avanço para que as pessoas abraçassem sua sexualidade e curiosidades em vez de se envergonharem. Para as mulheres houve um aumento do número de sites dedicados ao público feminino e planos de assinatura de ‘store boxes’ mostrando que as mulheres são tão sexuais quanto os homens, que elas devem se descobrir e não ter vergonha disso.

11 fatos surpreendentes do pornô, por Rachel Starr

1) É muito corporativo
Ao contrário do que muitos pensam, filmar um filme adulto não é apenas uma grande orgia. Especialmente com a legalidade e a saúde sexual das pessoas envolvidas, você pode apostar que é tudo profissional e regulamentado.

“Eu acho que a coisa mais comum que se passa atrás das cenas é a extensa documentação”, “A documentação constante, a verificação dos testes das pessoas, até o ponto em que não só temos que assinar coisas, mas eles têm que nos convencer desses termos em que você percebe que isso está acontecendo em um site para adultos, você percebe que está trabalhando com isso. Tem todos esses pontos de controle que você precisa passar antes de poder entrar. E por isso é muito corporativo, e acho que talvez muitas pessoas possam ter a ideia de que é, ‘Ei, nós nos mostramos no set. Vamos fazer sexo [risos]’. Está tão regulamentado, e acho que essa é uma das coisas que as pessoas não esperariam”.

2) Os “fluffers” no set são um mito
Você pode ter ouvido o mito popular de que há “fluffers” no set para ajudar a manter as estrelas pornográficas masculinas erguidas entre cenas.

Fluffer é a ocupação, cada vez menos utilizada no cinema pornográfico, que consiste no estímulo feito no órgão genital masculino entre as filmagens de um filme pornô. Com a melhoria dos recursos tecnológicos, a gravação de uma cena exige cada vez menos pausas; e as pausas feitas são cada vez mais rápidas.

“Não há fluffers [risos]”, “Você é completamente responsável pelo seu talento para colocar não só seu corpo, mas também sua mente em um trabalho e executar o que os diretores o contrataram para fazer, não é responsabilidade de mais ninguém. Então, quando estou trabalhando com um cara, não é minha responsabilidade ter certeza que ele vai dar conta. Quando a câmera estiver ligada, ele deve estar duro e pronto para o rock. Não há ninguém de joelhos acariciando-o e perguntando, ‘O que você precisa, querido?'”

3) Algumas estrelas levam seus papéis muito a sério
Apesar da natureza sexual de seus papéis, as estrelas pornográficas são atores no final do dia. Rachel compartilhou como o trabalho requer lidar com muitas personalidades diferentes no set, dos introvertidos aos extrovertidos.

“Eu estou sempre sorrindo e rindo o tempo todo”, “Eu gosto de contar piadas e coisas assim, mas há algumas garotas com as quais eu trabalhei que são realmente sérias. Elas querem estudar o roteiro e então literalmente colocam fones de ouvido. Não ouvem mais nada, não conversam com ninguém, só querem saber de estudar o roteiro. Lembro-me do meu primeiro ano entrando no negócio e tinha uma garota que nem lembro do nome. Ela era linda e eu era mais atirada. Ela usava fones de ouvido e era como se ninguém falasse com ela, e eu só queria subir e me apresentar.

4) Há uma lista negra sem lista
Rachel normalmente sabe com quem ela estará trabalhando em um projeto tão cedo quanto duas semanas ou um mês adiante, o que significa que ela tem dicas sobre quem quer filmar ou não. Pense nisso como uma lista negra interna para cada indivíduo.

“Se há alguém com quem trabalhamos, ou mesmo alguém com quem não trabalhamos e ouvimos dela ‘coisas’ sobre determinada pessoa podemos colocar essa pessoa em uma lista discreta e só o diretor tem essa informação”. “A outra personalidade pornô sequer sabe que eles poderiam estar na minha lista negra, o que é muito legal. Você nunca se depara trabalhar com pessoas com as quais você não quer trabalhar”.

5) É mais do que apenas sexo
“Eu diria que a melhor parte do trabalho é abraçar a fantasia”, “Eles não são necessariamente minhas fantasias, mas as empresas colocaram muito esforço e pensaram nos roteiros que eles escrevem. Você apenas pode ser alguém diferente por um dia, e isso é incrível. Você consegue vivenciar essas fantasias”. “Eu sei que é sexualmente artístico, mas é uma forma de expressão artística”.

6) Cerca de 75% das gozadas nas fotos são falsas
Se você já lavou seu rosto com o limpador facial diário ‘Cetaphil’ e pensou, “Isso parece sêmen”, você não está errado. Aproximadamente três quartos dos “tratamentos faciais adultos” mostrados em imagens não são sêmen real, geralmente é Cetaphil. Recentemente, as empresas também começaram a usar uma marca de lubrificante chamada ‘Spunk’, que deveria aparecer exatamente como o nome sugere. Mas as coisas são mais autênticas no que diz respeito ao vídeo.

“Quando você está olhando para as cenas pornográficas eu me atreveria dizer que mais de 90 a 95% daquelas gozadas são reais. Às vezes você pode transformar uma cena que deveria ser como gozada nos seios da garota para milagrosamente uma cena de ‘pastel de creme'”.

7) Definir condições essenciais para fazer uma cena pode ser bastante difícil
No set de filmagem nem tudo é brilho e glamour. Na verdade, Rachel Starr compartilhou momentos em que a filmagem era quase insuportável.

“Há dias dolorosos em que você está no meio do deserto de Mojave em um calor de 110 graus, derramando suor e no vídeo, você não pode ter uma gota de suor, então as pessoas estão constantemente te tocando, te enxugando, ou quando está frio, que não podemos utilizar o aquecedor por conta dos materiais presentes em cena, por conta da energia utilizada pode afetar microfones e iluminação.”

Outro problema observado é a saudade de casa. As gravações pornográficas estão baseadas em capitais como Las Vegas ou Los Angeles, quando Rachel viaja para o trabalho, ela grava cinco ou mais filmes por vez sem voltar por algum tempo. “Vivendo apenas de uma mala, não é tudo glamoroso como todos pensam”.

8) Cerca de 50% das estrelas pornográficas não namoram pessoas da indústria pornô
O próprio parceiro, de um relacionamento de dois anos e meio, de Rachel não está envolvido com o pornô. E, embora ela tenha um trabalho que inevitavelmente tenha algum tipo de efeito em sua relação, ela afirma que seu parceiro é incrivelmente compreensivo sobre o que ela faz. “Eu realmente tenho muita sorte por ter um namorado que percebe que o que faço é trabalho”.

“Se rola alguma dúvida e ele fica com uma pulga atrás da orelha, me puxa de lado e logo me pergunta sobre o que está incomodando querendo saber minha resposta”, “É importante ser honesta nas respostas e nove entre 10 vezes a conversa termina com meu retorno”. “A pior parte é ficar longe do meu namorado”.

“Pessoalmente, eu prefiro não namorar com alguém da indústria pornô”, “Acho que isso mantém a minha alma completa, meu chi, acho que por falta de uma palavra melhor, é poder separar os dois. Quando eu vou ao trabalho, trabalho e sou tudo o que minha marca precisa de mim. E quando eu chegar em casa sou tudo o que minha família e amigos precisam que eu seja.”

9) As estrelas pornô podem filmar até cerca de 150 cenas por ano
Como um atriz pornô veterana com 10 anos de carreira, Rachel faz uma média de 20 e 30 filmes por ano, mas seus números ainda são pequenos perto de outras. A maioria das pessoas ainda está em processo de construção de sua marca e filmam cerca de 60 a 70 filmes por ano. Para realmente obter reconhecimento, alguns atores e atrizes filmam de 100 a 150. Além de filmes, o trabalho também exige turnês e apresentações para manter suas marcas pessoais.

10) Algumas cenas adultas podem levar dias para serem gravadas
Rachel distinguiu a diferença entre filmes “gonzo” (estórias curtas e sem grandes produções) e filmes “tradicionais”. Como os gonzos têm apenas cerca de 10 minutos de duração, eles só levam um dia inteiro para ser gravado, enquanto os tradicionais são mais parecidos com um filme hollywoodiano e exigem vários dias de produção com conjuntos e figurinos construídos. Eles exigem scripts mais longos e mais de um plano desenvolvido em comparação ao gonzo.

11) Alguns dos orgasmos que você vê são reais
É difícil determinar exatamente quantos orgasmos de um filme são reais ou falsos sem perguntar diretamente a cada ator, mas lembre-se de que as estrelas pornô são pessoas reais, como nós. Apenas 25% das mulheres podem atingir o clímax da penetração sozinho, e isso inclui as estrelas pornográficas. A menos que o script exija a estimulação do clitóris, as chances são de que ela está simplesmente fazendo uma boa interpretação.

“Eu gostaria de dizer que a maioria dos orgasmos que tive no set são genuínos”. “Eu gostaria de dizer isso, mas de forma realista, não é justo para mim dizer que gozei muitas vezes em cena – e é aqui que eu acho que as pessoas não percebem o quão somos guiados”, “Os diretores precisam de blocos de cena, como por exemplo, quatro minutos de cachorrinho e logo depois cinco minutos cavalgando. Muitas vezes não rola um bom estímulo e a experiência não é aumentada, o que seria ótimo. Blocado da forma que é os orgasmos não funcionam [risos]”.

Via POPSUGAR