Recentemente publicamos que gamers profissionais que usam o Twitch estavam cada vez mais irritados com a perda de usuários para as ‘bikini streamers’, jogadoras que fazem suas transmissões em trajes sumários e sensuais para atrair mais assinantes e doações.

A Amazon, dona da Twitch, percebeu que essa sexualização poderia prejudicar a plataforma, além de desvirtuar sua verdadeira utilidade. Portando achou por bem definir um novo código de conduta contra a erotização. Toda uma série de elementos, incluindo títulos de fluxo, ângulos de câmera, emotes, painéis, roupas, sobreposições e caixa de bate-papo serão examinados. Quem não se adequar, poderá ser banido.
As novas regras entram em vigor na segunda-feira, 19 de fevereiro, às 5 horas da Inglaterra.

A Amazon comprou a Twitch em 2014 por US $ 970 milhões. Mais de 15 milhões de pessoas sintonizam a plataforma todos os dias para assistir jogos de videogames. Mais de 355 bilhões de minutos de vídeo foram assistidos no site em 2017.