Facesitting (“sentar na cara”), também conhecido como queening ou kinging, é uma prática sexual em que a mulher se senta sobre o rosto do parceiro, de frente ou de costas, para permitir ou forçar a prática do sexo oral na buceta e/ou no cuzinho da parceira, podendo receber auxílio das mãos e dedos em qualquer parte do corpo.

Facesitting pode ser praticado como uma posição sexual livre de regras e obrigações, onde prazer está em se esfregar na cara do parceiro para receber ou praticar sexo oral, ou como BDSM, com regras de dominação/submissão envolvendo imobilização, controle, humilhação, etc.

BDSM:
Ao contrário de sufocar, no BDSM o parceiro inferior não é privado de ar. O peso total do corpo, pressão, umidade, os odores corporais e escuridão podem ser recebidos como poderosos estimulantes sexuais. A pessoa sentada pode estar em cativeiro, sexualmente submissa ou simplesmente pressionado pelo peso corporal da outra pessoa.

As vezes são usados ​​móveis especiais, como “banquinho de damas” ou “caixa de sufocamento”. Um ‘banquinho queening’ é um assento baixo que cabe no rosto do submisso e contém uma abertura para permitir a estimulação oral-genital e/ou oral-anal enquanto sentado.

ENQUETES DIFERENTES PARA HOMENS E MULHERES:

HOMEM: Você gostaria que sua parceira se sentasse e se esfregasse no seu rosto?





MULHER: Você gostaria de se sentar e se esfregar no rosto do seu parceiro?





MONTY PYTHON adorava FACESITTING:
Em 1980 o grupo Monty Python gravou a canção humorística “Sit on My Face” sobre os prazeres de facesitting. Escrito por Eric Idle, a letra da música é uma paródia para a melodia de “Sing As We Go”, de Gracie Fields. A abertura dá lugar a várias vozes masculinas cantando “Sente na minha cara e diga que me ama”. As letras restantes contêm inúmeras referências a fellatio e cunnilingus, como “Quando estou entre suas coxas você me faz explodir” e “A vida pode ser boa se fizermos um 69”. fonte!

NAMIO HARUKAWA:
Se as mulheres quase sempre são tratadas como submissas no erotismo, na arte do ilustrador japonês Namio Harukawa elas dão o troco e abusam do facesitting subversivo. Em seus desenhos homens são meros objetos raquíticos para servir aos propósitos sádicos da raça superior e dominadora, aqui representada por mulheres com enormes e lindas curvas.

Imobilizar, controlar, sufocar e humilhar são os principais motivadores de prazer e satisfação para as mulheres de Namio Harukawa.

EXTREME FACESITTING – WHATAFUCK?!?!




VÍDEOS PARA VOCÊS SE INSPIRAREM: