Circula no WhatsApp e no Facebook uma notícia junto a uma imagem de um documento do Diário Oficial que afirma que o MEC irá comprar e distribuir gratuitamente 500 mil vibradores nas escolas.

O edital de licitação prevê a compra de 500 mil vibradores de até 22 cm custando cerca de R$ 284,40 mil. Estes objetos teriam por finalidade compor um kit com CDs e livros sobre sexualidade entregue às escolas.

No texto é dito que as empresas interessadas poderão enviar suas propostas até o próximo dia 15 e que o Ministério da Educação e Cultura dará início à concorrência.

A distribuição gratuita de 500 mil vibradores nas escolas é verdade ou mentira? O MEC afirmou que o texto que circula foi remodelado e que a imagem do Diário Oficial sem data é uma montagem. No próprio Diário Oficial da União é possível fazer uma busca e lá não se encontra nenhuma menção ao edital.

A origem da notícia falsa foi no site humorístico Sociedade Oculta advertindo que suas publicações não são sérias. O texto é adaptado de uma brincadeira do humorista Joselito Muller postada em seu site em 2015. Mas quem compartilha o texto recortado do site faz com que outras pessoas fiquem desavisadas quanto a isso e acabem compartilhando como uma realidade.

É importante dizer que muitas pessoas compartilham a falsa notícia acreditando nos fatos por não interpretarem corretamente o tom de deboche presente na mensagem. A notícia possui uma aspas do prefeito de São Paulo, João Dória, citando “picas”. Muitos ainda, além de compartilharem acreditando na veracidade da informação ainda comentam com lamentação a possibilidade real desta situação acontecer.

“Nada contra o ensino da compreensão da sexualidade em sala de aula, mas será este o momento no país de onerar mais ainda os cofres públicos?” comentou uma pessoa no Facebook.

Confira a notícia falsa na íntegra:

BRASÍLIA – O Diário Oficial da União publicou um inusitado edital de licitação do Ministério da Educação, por meio do qual pretende adquirir diversos tipos de pirocas artificiais.

Segundo o informativo, o MEC dará início ao certame, na modalidade, concorrência, para realizar a compra de 500 mil pênis de borracha – vibradores de até 22 centímetros , cujo orçamento totaliza duzentos e oitenta e quatro mil reais e quatro centavos.

No edital, empresas interessadas poderão encaminhar propostas à comissão de licitação até o dia 15 do próximo mês, e vence quem apresentar a melhor proposta nos quesitos qualidade-eficiência-prazer-preço.

Especialistas avaliam que a destinação dos produtos seja para compor um kit junto com livros e CDs de video, onde estudantes tímidos, possam ser ter um melhor entendimento sobre sua sexualidade o assunto estudando de forma mais pratica fora da escola, numa especie de dever de casa

É apenas um incentivo a masturbação, Afirma o sexólogo e cientista político Dênis Braulio da Silva. Outra vantagem é que o aluno masculino e hétero, poderá experimentar outros tipos de prazeres de forma mais intima ( escondido) reestabelecendo assim um novo conceito sobre preconceito entre gêneros

Segundo informações extra oficiais , para o Ministerio, o kit está em análise na Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, e não será entregue a alunos, mas às escolas.

O kit é fruto de uma parceria entre o Ministério e a organização não-governamental de Comunicação em Sexualidade e foi elaborado por entidades de defesa dos Direitos Humanos e da população GBT , a partir do diagnóstico de que falta material adequado e preparo dos professores para tratar do tema. Além de livros e vídeos que tratem de temas como transexualidade e bissexualidade

Nossa reportagem tentou contato com o ministro da educação, mas ele não retornou as ligações.

Ninguém no ministério soube, ou quis falar mais detalhes a respeito.

Setores de oposição ao governo criticaram a medida, afirmando que é “desnecessário comprar picas de borracha num momento delicado pelo qual passa a economia nacional , desse jeito o Brasileiro vai acabar tomando naquele lugar….afirmou João Doria.